Escolas de Surf portuguesas com certificação de qualidade

0
79

A Associação de Escolas de Surf de Portugal (AESDP) lançou o Certificado de Qualidade de Escolas de Surf para o ano social de 2021, marcando o início de um processo de reconhecimento das Escolas que operam como consequência de requisitos específicos de Qualidade Segurança.

Conforme a AESDP, “este selo marca surge num instante quando se revela qualquer vez mas essencial diferenciar valorizar os operadores num mercado crescentemente adversário.”

A promessa já tinha sido feita pela associação do sector na sua reflexão de final de ano, tendo sido agora consumada com o lançamento do Certificado de Qualidade de Escolas de Surf 2021. Segundo a AESDP, “a Certificação surge tendo em conta o contínuo prolongamento das actividades de deslize em ondas o consequente aumento do número de operadores de ensino, não havendo porém ferramentas para honrar aqueles que, além dos requisitos legais, cumprem também com essenciais medidas de Qualidade Segurança.”

A AESDP, como associação que representa o sector de ensino de surf pátrio, definiu deste modo os requisitos obrigatórios o Código de Conduta Segurança associados a este Certificado, que serão anualmente revistos adaptados com a participação de todos e cada um dos membros certificados. O Dirigente Executivo da AESDP, Afonso Teixeira, reconhece a de definir padrões requisitos justos que possam ser aplicados a todas e cada uma das Escolas de Surf do país, porém destaca que era forçoso neste ano de restauração fazer o dedicação de lançar uma primeira versão deste selo.

“A partir de que começámos a fabricar esta Certificação, surgiram varias princípios de padrões, porém queríamos que todo o classe de Local de ensino pudesse ser selecionável, da maior à mas pequena. Desse modo decidimos gerar um conjunto de requisitos que se possam impor de uma forma por norma geral que deixam um primeiro nível de eminência das Escolas que actuam de modo mas profissional responsáveis”, afirma Afonso, destacando ainda que “este será um ano piloto desta certificação, quando iremos ter todas e cada uma das Escolas de Surf que se certificarem num Conjunto de Trabalho que irá reunir ao longo do ano de 2021, para podermos em conjunto apropriar a própria certificação com intenção de esta se torne melhor mas reconhecida de ano em ano”.

O Regulamento de movimento do Certificado, o Código de Conduta Segurança toda a informação para adesão, podem ser consultados no website da AESDP, sendo de primar entre os requisitos a obrigatoriedade dos membros certificados estarem licenciados pela Capitania /ou Câmara municipal durante todo o ano, terem um vínculo laborativo com o/a Treinador/a encarregado comprovarem a participação em formações em resgate aquático, primeiros socorros /ou Suporte Essencial de Vida.

Segundo o Chefe Executivo da Associação, o principal alvo deste selo é “permitir identificar facilmente os operadores que têm uma autêntica dedicação com a qualidade a segurança dos serviços prestados”.

“O impecilho é que os registos, tanto no Ludambulismo de Portugal como na Federação Portuguesa de Surf, não dão garantia a este nível as Capitanias Prefeituras têm requisitos bastante distintos entre eles. O registo no Ludambulismo de Portugal unicamente certifica que a Local de ensino possui os seguros obrigatórios em dia, o que é mais uma vez verificado pela Capitania ou Câmara municipal no instante de enunciar a licença, depois temos o obstáculo já identificado de Treinadores que dão o nome para o registo na FPS de numerosas Escolas. Assim sendo, esta ação irá transmitir de uma forma transparente que as Escolas detentoras deste selo vão além dos requisitos legais, deixando ao público compradores das Escolas de Surf fazer uma escolha mas informada responsáveis.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui