Fotógrafo belga revela sua visão da “Tribo do Surf”

0
74
surftribe
surftribe

“Surf Tribe”, uma exposição fotográfica do fotógrafo belga Stephan Vanfleteren, está aberta ao público no Kunsthal Rotterdam na Holanda.

Em seu projeto mais recente, Vanfleteren exibe uma cultura dominada por um profundo respeito pelo oceano.

Vanfleteren vai além dos pontos de surf tradicionais da Califórnia e do Havaí e viaja o mundo em busca de pessoas que vivem onde o oceano encontra a terra.

Lá ele consegue capturar a comunidade quase fluida de “súditos da poderosa Tribo do Surf”, cujo único mestre é a natureza.

Eles não são retratados em fotos de ação contra ondas azuis, mas em retratos serenos em preto e branco tirados no estilo puro e comovente de Vanfleteren.

Amor pela água e vício pelo golfe

Por dezoito meses, Stephan Vanfleteren mergulhou profundamente no mundo da comunidade internacional do surf. Através de inúmeros encontros e aventuras, ele conseguiu capturar muitos surfistas com sua câmera.

Com mais de setenta retratos em preto e branco distintos, a exposição se tornou um livro “Tribo do surf é uma ode às pessoas cuja alma pertence ao oceano.

Kelly Slater: a campeã aos olhos de Stephan Vanfleteren |  Foto: Stephan Vanfleteren

As fotos mostram quem está por trás dos surfistas, em toda a sua força e vulnerabilidade. O que os une é o amor pela água e o vício pelas ondas.

Esse sentimento de insignificância para com as forças da natureza, as lutas perdidas e vencidas, com os outros, mas principalmente consigo mesmo.

Lendas vivas

“Surf Tribe” apresenta surfistas competitivos, freesurfers e hippies de todo o mundo – de jovens talentos do surf a ícones do surf e lendas vivas.

Isso inclui Bethany Hamilton, que perdeu o braço para um tubarão aos 13 anos. Kehu Kehu Butler e descendente de Maori usando um vestido tradicional moko tatuagem e tapa-olho, após um clássico acidente de surf.

E também Peter Cole que perdeu parte do olho direito e já tem 80 anos, embora isso não o impeça de surfar sempre nas ondas. Desavergonhadamente, todos posaram para a câmera de Vanfleteren.

A exposição será aberta por Stephan Vanfleteren, que falará sobre as muitas aventuras que viveu ao mergulhar no mundo da comunidade internacional do surf.

Vanfleteren estudou fotografia na Sint Lukas School of Arts em Bruxelas entre 1988 e 1992. Ela se especializou em retratos em preto e branco e projetos de reportagem fotográfica de longa duração na Bélgica e no exterior.

O belga recebeu diversos prêmios por seu trabalho, incluindo o European Fuji Prize, o National Dutch Portrait Prize e o West Flanders Province Culture Prize, que é concedido a cada cinco anos.

Em 2013, Vanfleteren ganhou seu sexto prêmio World Press Photo pela série “People of Mercy” na categoria “Stage Portraits”.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui