Expansão do quebra-mar ameaça surfar popular em Portugal

0
134
matosinhoschain
matosinhoschain

Mais de 600 surfistas e amantes da praia formaram uma corrente humana contra a extensão Breaking Wall em Matosinhos, uma popular praia de surf no norte de Portugal.

Os manifestantes acreditam que o trecho de 300 metros moverá a areia do sul para o norte, potencialmente causando o desaparecimento da praia.

Além disso, as ondas dominantes de noroeste estão bloqueadas pelo novo quebra-mar e as ondas de Matosinhos são coisa do passado.

Matosinhos é uma vila piscatória perto do Porto, a segunda maior cidade de Portugal. É também a única comunidade costeira do país onde se pode pegar um metrô do centro até a praia.

As praias do Porto e Matosinhos estão nas proximidades e atraem milhares de surfistas locais e estrangeiros que vivem na cidade do Porto, património mundial.

De acordo com as autoridades locais, esses pontos de surfe atraem mais de 200.000 surfistas e entusiastas de Desportos aquáticos a cada ano. A construção de outra barragem cria um lago sem ondas.

Matosinhos: Férias portuguesas oferecem ondas para surfar mais de 300 dias por ano |  Foto: Creative Commons

“Estudos técnicos indicam que haverá erosão na zona sul porque a ondulação entrará lateralmente e a onda do mar diminuirá cerca de 40%”, disse João Castro, engenheiro do Laboratório Nacional de Engenharia Civil e membro da organização não governamental. SOS Salvem ou Organização do Surf (SOS Save the Surf).

Matosinhos é frequentemente considerado um dos melhores spots portugueses de surf para iniciantes e intermediários. Você pode surfar mais de 300 dias por ano e está rodeado de restaurantes, parques e áreas comerciais.

Mais de 20 escolas de surf sediadas na região do Porto trazem todos os dias iniciantes e turistas a esta praia. Mas o local também é popular entre os amantes do windsurf, kitesurf, canoagem, bodyboard e skimboard.

O alargamento do quebra-mar em 300 metros é uma obra liderada pelo Porto de Leixões (APDL), um dos mais movimentados portos de passageiros e carga da Península Ibérica.

O objetivo do porto é aumentar o número e o tamanho dos cargueiros que entram no cais, mas isso também aumentará os níveis de poluição, levará à destruição da praia e arruinará a economia local.

Se a construção continuar, as ondas de Matosinhos e do Porto vão juntar-se à idílica lista pontos de surf que foram destruídos através da intervenção humana.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui