“She Surf” faz jus à história do surf feminino

0
75

As filas mais movimentadas do mundo não são mais um estádio 100% dominado por homens. É o passado

As mulheres estão assumindo o comando, não apenas no Desporto, mas também na sociedade.

Embora a afirmação acima possa ser considerada por alguns como um falso clichê, a verdade é que a bola de neve está rolando montanha abaixo lenta, mas continuamente.

A ascensão da mulher no mundo não é fruto de um único movimento ou de uma única manifestação. Foi uma batalha feroz que ocorreu por dentro e por fora.

Essa inevitabilidade torna o mundo um lugar melhor.

O Surf Feminino é responsável por alguns dos melhores livros de surf publicados no século XXI. Ela certamente está liderando o exército.

O livro é absolutamente lindo. É uma homenagem bem merecida aos oprimidos e livres, e um elogio sem remorso para as mulheres do surf.

Curiosamente, o Desporto em si sempre pareceu uma dança. E não poderia ser mais feminino.

Design inteligente, conteúdo significativo

O editor, Gestalten, escolheu o formato ideal e encontrou um equilíbrio perfeito entre fotos de alta qualidade e conteúdo perspicaz.

Embora a história do surf feminino ainda não tenha sido escrita, “She Surf” é o primeiro passo para um trabalho a ser feito mais cedo ou mais tarde.

Existem dois Desportos nos quais as mulheres melhoraram e aprimoraram dramaticamente suas habilidades, qualidades técnicas, desempenho e habilidades físicas na última década: futebol (futebol) e surf.

Mas, especialmente no surf, não seria uma surpresa ver Stephanie Gilmore ou Bethany Hamilton derrotar uma contraparte masculina em uma final.

Gilmore e Hamilton são dois dos 26 surfistas apresentados nesta joia de capa dura costurada de 256 páginas.

She Surf: a ascensão do surf feminino“contém mais de 200 fotos e está organizado em cinco capítulos.

“The Abundant Roots of Women Surfing” investiga a história e conta o legado da realeza polinésia havaiana, deusas e mulheres médicas.

“As mães fundadoras do surf profissional” nos convida a conhecer mais sobre as primeiras mulheres que lutaram por salários iguais e se destacaram no Desporto.

“Blue Crushing It” mostra como as estrelas da década de 1990 cimentaram os hábitos de surf profissional das mulheres e abriram caminho para o empoderamento das mulheres e a igualdade de gênero.

“Making Design Matter” é uma incrível coleção de páginas que revelam o papel das mulheres no design de pranchas de surf e como isso moldou seu estilo nos últimos 60 anos.

O “biquíni irreversível” é um tema fundamental porque aborda a complicada relação entre o surf, a hipersexualização e o vestuário.

O começo é o fim é o começo

O cenário do surf feminino está mudando, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Os surfistas profissionais finalmente receberam o mesmo salário, mas a indústria ainda tem um longo caminho a percorrer.

Os sinais são positivos e há consenso de que não há volta.

“As mulheres agora representam de 20 a 30 por cento dos surfistas, e esse número continua a crescer”, disse Lauren L. Hill, autora de “She Surf”.

Hill é um surfista e escritor livre e profissional.

Ele passou a última década em busca de novas ondas, documentando as culturas do surf que encontrou ao longo do caminho por meio de uma “lente ecofeminista”.

O que torna ‘Surf Surf’ um livro tão crucial no surf feminino é que a autora foi capaz de relatar objetivamente sobre o status quo sem ser tendenciosa ou ingênua.

Os diplomas de Hill em ciências ambientais e sociais certamente a ajudaram a colocar as coisas em perspectiva e a ser mais informativa e precisa do que alguns dos melhores jornalistas do mundo.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui